0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×

Um homem reconta  como o Linkin Park começou seu relacionamento com o Metal.

Ah, Hybrid Theory,seu brilhante, ousado, pequena besta irritante. Assim como parecia, o Nu Metal estava ameaçando voltar as suas origens com correntes, piercings labiais, e ansiedades injustificadas. Juntando à tudo isso, você veio pra colocar no lugar a vanguarda da Heavy Music,insultando incontáveis conservadores do metal de uma forma nunca vista novamente até três adolescentes japoneses vestirem rabos de porcos e se jogarem na frente de uma banda de Death Metal.

Onde Korn e Deftones fizeram a base da temática e visual do metal e formaram seu som com novas e curiosas formas, ele foi algo que transformou o cenário para sempre; Foi como “Uma linha na areia” (A Line in The Sand) se é que vocês me entendem, entre aqueles que odiaram o álbum e as bandas que entraram no mesmo despertar. As comportas foram abertas para milhões de novos e desconhecidos rostos que afirmavam ser fãs de Metal, enquanto muitos outros que já tinham sido conquistados pela Heavy Music ao longo dos anos  recusaram aceitar a inclusão do álbum no pódio histórico do gênero.

Ele foi, como posso dizer, uma genuína virada de jogo,e, completa 15 anos essa semana, seu impacto em nosso mundo está mais agudo do que nunca.

Pra mim, como um bobo garoto de 13 anos que apenas conhecia a superfície da magnitude do Metal, vi no Hybrid Theory a faísca que incendiaria minha paixão pelo Metal. Até aquele momento, meu interesse no gênero era basicamente ouvir uma fita do Rage Against The Machine que meu tio tinha dado, e ficar imaginando quem era aquela banda fazendo aquele som novo. Também ouvia um pouco de Offspring, Nirvana e Green Day e estava ciente que havia um grande alarme na mídia sobre um cara chamado Bruce, que estava voltandoo pra uma banda chamada Wheatus  (É, aquela “Leave the Hell etc, etc.), mas fora isso, eu estava tão verde quanto o Kermit. E então eu vi o vídeo da One Step Closer.

Resultado de imagem para one step closer linkin park

 

As cores. As roupas. O visual. Os monges voadores! Era a droga mais legal que eu já tinha visto, e enquanto era reproduzido eu achava mais revolucionário, imagens que desgastavam a retina, parecidas com as do Mason (Marilyn) e Slipknot, foi a primeira vez na minha jovem vida que eu me senti assistindo – não, fazendo parte- do começo de algo especial. E a música. Ah, cara, a música. Aquele primeiro riff. O Colapso. Os scratches desordenados do Joe Hahn. Aquela linha. Aquilo misturou tudo o que eu gostava em música e se apresentou numa coisa só. Um pacote ordenadamente polido. Obviamente, saí e comprei o o álbum e já estava viciado. Enquanto muitas bandas daquela era tentavam chegar ao topo com um Single forte e mais algumas coisas, Hybrid Theory transbordava inteiro. Papercut! Crawling! Points Of Authority! In The End! A Place For My Head!!!

Noite após noite eu fiquei acordado, fones de ouvido plugados no som, balbuciando sem parar cada música, tentando não bater minha cabeça na cama tão forte para que minha mãe não ouvisse (desculpa, mãe). Cada música era um mergulho de cabeça. Todos os coros mereciam ser ouvidos em arenas. Era perfeito, e além de tudo isso, era apenas música boa.

Resultado de imagem para in the end linkin park

 

E ainda é, Enquanto o Linkin Park evolui pra longe de qualquer coisa que remotamente lembre a base do Metal, significa que muitos outros fãs se apaixonaram por eles. Hybrid Theory se mantém impecável e mesmo que você ignore o fato que ele vendeu 27 milhões de cópias, se tornando o maior em vendas da década ( espantoso, em qualquer modo que você fale) sua influência continua “violenta”. Muitas pessoas lembraram dessa influência no álbum do Bring me The Horizon ” That’s The Spirit” mas Oli Sykes, liricamente falando, contou da influência do Hybrid Theory na banda desde de 2013. ” O Hybrid Theory ainda soa fantástico pra mim. Eu não tenho vergonha de dizer que os vocais de Sempiternal teve influência do Chester Bennington” . O vocalista do Crossfatih, Ken Koie falou da importância do álbum em janeiro do ano passado, dizendo que ” Não parecia com nada que ela ja havia escutado antes” E o Dj da banda, Teru, está sempre falando deles e disse ter entrado na banda como Dj Depois de vê-los. De Mice and Man até Beartooth, existem muitas outras bandas fazendo novos sons em 2015 e que não estariam aqui se não fosse pelo Hybrid Theory. Você pode até não gostar desses artistas, mas eles abriram as portas para muitos fãs e estão no mesmo caminho que o Linkin Park estava nos anos 2000.

E, se precisar de mais evidências para mostrar a importância do Hybrid Theory, você só precisa olhar no site “Last Year’s Download”. Eu tive sorte o suficiente, tanto através do trabalho nos últimos anos, como um fã ao longo dos anos, de estar em muitos festivais, e eu posso dizer honestamente, de coração, que eu nunca presenciei em 40 minutos o que o Linkin Park fez na primeira metade do show naquele sábado a noite.(Download Festival) Sabia que seria especial vê-los tocar o álbum completo, mas ver 90,000 pessoas cantando, gritando e dando socos no ar com cada e todas as músicas, pareceu a reivindicação de uma geração de fãs do Metal (e sim, nós somos realmente fãs do Metal) que entraram por aquela porta que o álbum abriu.

Resultado de imagem para crawling linkin park

 

Muitos fãs- de fato, quase certos de que a maioria que os identifica como fãs do Metal, tem a dizer sobre o Hybrid Theory. Para eles, representa que o Metal deu errado e criou espaços para o vácuo, bandas “felizes demais” que cantam sobre nada se intitulam bandas de Metal. Posso discutir esse pensamento? Acho que não. É difícil discutir que ele deu início para que incontáveis grandes bandas, em muitos casos, genuínas bandas de Metal fossem apagadas pelos fãs de Metal dos dias de hoje. Isso significa que o álbum é ruim? não seja idiota. Se você está procurando por profundidade, significado em suas músicas, ele está esperando por você. Se, no entanto,o mérito de um álbum musical é o legado pelo qual ele vive e morre, então o Hybrid Theory é tão bom o quanto se torna a cada dia.

Fonte | Tradução e Adaptação Linkin Park Brasil

© 2016, www.linkinparkbrasil.com. O melhor portal de notícias do Linkin park no Brasil

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×

Deixe seu comentário sobre essa Notícia

comentários

Leave a Reply

Your email address will not be published.