This post has already been read 1564 times!

Antes de você começar a ler esse texto, saiba que é apenas uma opinião, e não uma verdade absoluta.

Bem, para começarmos temos que voltar lá para os meios de 2013, quando o Linkin Park confirmava um novo álbum para ser o sucessor do seu último, até então “The Linving Things” (2012)

Nas primeiras entrevistas, antes de mostrar o novo som do álbum, a banda sempre dizia que seria “visceral” que seria um som mais agressivo e cru, no qual soaria bem diferente do último álbum lançado em 2012.

Durante a produção do álbum, boa parte da “fã base” do Linkin Park parecia bem animada, pois a banda vinha de 2 álbuns com menos peso e flertando com um som mais “eletrônico.”

E então no dia 07 de março de 2014, a banda lança como seu primeiro single a música “Guilty All The Same” que trazia pela primeira fez em um primeiro Single um Feat, que dessa vez seria com ” Rakim”. O Single foi bem aceito pela critica e por grande maioria dos fãs, agora o Linkin Park trazia um som mais pesado, mais cru. Não era pesado como o Meteora(2003), e nem tão pouco harmônico como o Minutes to Midnight (2007).

Que Linkin Park era esse? Bem, nas palavras do próprio Mike Shinoda, eles estavam cansados de ouvir músicas da “Disney” nas rádios, segundo ele faltava rock no mundo na música, e eles queriam fazer um som mais pesado, como se eles tivessem novamente 17 anos.

Logo depois veio um clipe do primeiro single que, bem, não ajudou em nada a vender a música, já que o clipe era simplesmente uma propaganda de um serviço da Microsoft.

Esse erro de um péssimo clipe foi corrigido já no próximo Single, com “Until It’s Gone”, single que foi muito mais popular que o anterior nas rádios, talvez por ser uma música mais curta e com menos agressividade, talvez?

Claramente a banda não estava muito conectada mais com o Marketing do álbum, não como os anteriores, os clipes foram saindo antes do álbum lançar, e quando o álbum finalmente saiu, 60% do mesmo já havia sido liberado pela banda. Bem, isso também pode ser considerado marketing, ou não?

Contudo, a banda continuou lançando seus Singles, porém, o grande hit do álbum em números e vendas foi “Final Masquerade”

Mas então será que as pessoas não estavam tão afim assim de ouvir um som mais pesado do Linkin Park? Já que as músicas com mais “peso” não conseguiram tanto destaque nas rádios e nas vendas digitais?

O álbum conta com músicos relevantes em seu processo de criação, com o guitarrista do System of a Down, Daron Malakian e também o Tom Morello da banda Rage Against the Machine.

Mas não interpretem mal, o álbum não foi um fracasso, ele conseguiu 3 platinas e 4 discos de ouro, além de pegar top 3 na Billboard Hot 100, porém ele amarga o fato de ser o único álbum da banda a não pegar o top #1 depois do disco de estreia da banda (Hybrid Theory -2000)

Porém se formos olhar seu antecessor (Living Things) que recebeu muito mais criticas pelo som eletrônico, a diferença destoa bastante, o LT alcançou 5 discos de platina ( com 1 duplo platina) e 10 discos de ouro (com 1 duplo)

O The Hunting Party criou uma expectativa que não soube cumprir? Ou seria apenas o mercado fonográfico que não esta mais pronto para receber músicas com mais peso de guitarras?

Deixe sua opinião, o THP é um dos seus preferidos?

© 2020, www.linkinparkbrasil.com. O melhor portal de notícias do Linkin park no Brasil

Deixe seu comentário sobre essa Notícia

comentários