0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×

Review feita pelo fã Chileno SEBASTIAN PEÑA LEON que participou da audição do The Hunting Party. Agradecimento a wretchesandkings que disponibilzou esta maravilhosa review.

 

 

Keys To The Kingdom :

Sem dúvida é um inicio inesperado, é brutal, desesperador, em uma atmosfera distorcida que define o tom de como a música vai ser. Uma poderosa bateria ao estilo Hadcore, e um rap energético, que faz lembrar os primeiros álbuns, a guitarra lhe da a energia necessária para esta canção, ela vai explodir a sua mente, como um chute. E Chester está presente em cada refrão com um grito que o possui, sem duvida alguma essa música vai agradar os fãs de rock pesado, e eu mal posso esperar pra vê-la ao vivo.

 

All For Nothing:

Para ser honesto, eu esperava mais desta, mas cuidado, ela ainda dispõe de Riffs que vão fazer você balançar a cabeça. Ela começa com uma introdução de guitarra sem distorção, suave, mas em seguida, no verso entra as guitarras pesadas. Ela fica com cara de “Linkin Park” quando Mike canta, como só ele sabe dar lugar, Hamilton é apoiado por Chester, sem dúvida, é uma música parecida ao estilo do Helmet. É uma boa canção, mas não como eu esperava.

 

The Summoning/War:

É uma introdução, é um pouco estranha, com um som suave e em segundos acrescenta coisas que podem a vir, ela tem alguns sons incomuns como uma caixa de brinquedo, e após ela, explosão começa!

War começa com uma destruição total de bateria, uma música Punk, que se dúvida surpreendeu todos os ouvintes nos escritórios da Warner, tinha apenas segundos de descanso, entre o verso e o refrão, o Chester grita brutalmente, uma cação surpreendente,  algo totalmente inovador, com um Brad com alta qualidade, ele me lembra ” Victimized , só que mais Visceral.

 

Mark The Graves:

Essa música começa  “menina” e termina “grande”, ela te introduz a um ritmo militar, juntamente com um ambiente de sons de que depois de alguns segundos da lugar a pesados riffs distorcidos, uma atmosfera de loucura, em cada verso a história muda, guitarras sem distorção entram no meio, dando passagem para Chester que canta bem melancólico, você consegue apreciar bem a voz de Chester, ele canta ao estilo  “The Little Things Give You Away”, me surpreendeu muito.

 

“Drawnbar :

Como já foi dito outras vezes, a presença de Tom Morello é desperdiçada, e ele quem ” toma as bandeiras” e começa as guitarras, tem um efeito meio ludico, ele é acompanhado por Rob e Mike, que começa a roubar a cena com a sua qualidade no teclado, é uma ótima intro para um show.

 

Final Masquerade:

Talvez será o próximo Single a ser lançado, e tem méritos pra isso. Rob começa a música em um ritmo lento, semelhante a baladas de rock das ultimas décadas, que lentamente se complementa com sintetizadores que o guia para um ambiente relaxante, nesta canção o grande destaque é Chester, com uma qualidade de uma bela trilha de vocais, Brad se destaca em um efeito “Delay”, ao final a canção termina da melhor maneira, a banda canta cativamente ” woah ohh “, enquanto Chester termina seu registro impecável ” .

A Line In The Sand:

Sem dúvida, uma das minhas favoritas do álbum, seu registro atmosférico, escuro, desde o inicio te envolve.  Ao que o som é meio como uma luz, o  Sr. Shinoda canta de uma forma que surpreendeu totalmente!  Você passaria tempo ouvindo essa doce melodia, mas Brad chega lindamente com suas guitarras pesadas, para trazer você de novo as memorias de  “Guilty all the Same” , e Chester mais uma vez mostra o poder de sua voz. Ao longo da música você ouve os gritos de Chaz penetrando seus ouvidos, enquanto Brad executa um acorde esplendido na guitarra, O senhor Shinoda, retorna cantando como no inicio da canção, 6 minutos são poucos para essa ótima música.

 

Considerações finais:

Depois de já ter ouvido as música disponibilizadas pela banda, eu já havia criado uma imagem ‘mental” do álbum. No entanto depois de pode ouvi-lo por completo eu mudei minha forma de ver, eu fiquei surpreendido, só que para o bem, ele mostra um grande amadurecimento da banda depois da era ATS, que é meu álbum favorito, eu fui cuidadoso com as minhas palavras, pois para cada um esse álbum vai ser diferente.

 

Lugar: Oficinas de Warner Music Chile, en Santiago de Chile

Asistentes: 18 personas aproximadamente

Album favorito: A Thousand Suns

 

© 2014, www.linkinparkbrasil.com. O melhor portal de notícias do Linkin park no Brasil

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×

Deixe seu comentário sobre essa Notícia

comentários