0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×

O site The Mighty – uma comunidade digital voltada para a saúde e saúde mental – fez uma matéria sobre as novas músicas de Mike Shinoda. Confira:


Se você está ainda sofrendo com a morte de Chester Bennington, você não está sozinho. Na quinta-feira, o frontman do Linkin Park, Mike Shinoda, lançou um EP entitulado Post Traumatic contendo três músicas sobre o processo de sofrimento após a morte de Chester, em julho. Essas músicas exploram a complexidade do sofrimento, mergulhando em uma emoção que não falamos frequentemente após a perda por suicídio – a raiva.

No instagram e twitter, Shinoda anunciou o lançamento do seu EP com uma messagem para seus fãs.

Os últimos seis meses tem sido uma montanha-russa. No meio do caos, eu comecei a sentir uma intensa gratidão – pelos tributos e mensagens de apoio de vocês, pela carreira que vocês me permitiram ter, e pela simples oportunidade de criar. Hoje, estou compartilhando três músicas que eu compus e produzi, com visuais que eu filmei, pintei e editei sozinho. Em seu núcleo, o sofrimento é uma experiência pessoal e íntima. Assim sendo, isso não é Linkin Park e nem Fort Minor, é apenas eu. A arte sempre tem sido o lugar que procuro quando eu preciso resolver a complexidade e confusão do caminho pela frente. Eu não sei onde esse caminho vai, mas estou grato por poder compartilhar com vocês.

– Mike Shinoda

https://twitter.com/mikeshinoda/status/956545088858898438

Desde a morte de Chester, Mike foi aberto com os fãs sobre o seu processo de luto “O sofrimento é um processo não-linear. Não tem ‘estágios’ que acontecem em ordem, tem fases que vem e vão ao acaso.“, disse ele à Billboard. “Algumas pessoas estão tendo dias tristes, outras estão tendo bons dias, outras estão tendo dias irritantes“.

No Post Traumatic EP, Mike nos dá um amostra de como era o sofrimento dele nos seus “dias de raiva”. O EP é composto por três músicas, chamadas Place to Start, Over Again e Watching As I Fall. Em particular, Over Again aborda como é a raiva no processo de luto de uma pessoa que sofreu com o suicidio de alguém. Nas letras, a música fala das questões sem respostas que as pessoas que lidam com o suicídio se perguntam e as frustrações que estas perguntas trazem.

E todo mundo que converso fala tipo, “uau deve ser muito difícil saber o que fazer agora”
Bem, obrigado espertão, você acha que é um desafio
É apenas o trabalho da minha vida pendurado numa porra de uma balança
E tudo o que eu queria era conseguir superar um pouco
Mas cada passo que eu dava eu olhava e não estava mais perto
Porque as vezes você diz adeus, sim, você diz isso e de novo, e de novo, e de novo, e de novo.

– Over Again

Nós tipicamente associamos luto com tristeza, mas é muito comum sentir raiva após alguém cometer suicídio. A perda por suicídio é profundamente dolorosa e pode nos deixar com questões complicadas e sentimentos que podem vim com essa raiva. Isso é algo que Ash Thomas, contribuidor do The Might está familiarizado. No post no site The Might, Lidando com a Raiva Após o Suicídio dos Meus Amigos, ele escreveu sobre o sentimento de raiva após perder quatro amigos por suicidio no período de um ano:

Quando descobri que cada um deles tinha morrido, eu estava muito zangado. Não com eles, isso não foi algo que eles mereciam. Eu estava zangado com o sistema de doenças mentais que falhou com eles. Eu estava zangado que eles sentiram que não tinham mais opções. Até certo ponto, eu estava zangado comigo mesmo por não perceber que eles estavam sentindo esse tipo de dor. Sentir a raiva era difícil e eu não sabia como lidar com isso…

E em certo momento, a raiva se transformou. Minhas cartas pararam de serem lidas como algo raivoso e passaram a ser lidas como algo triste. Os gritos se transformaram em soluços. Socar algo não estava certo. Eu percebi que, por baixo da minha raiva, eu estava profundamente triste. Pessoas que eu amei tinham partido e meu coração estava muito machucado. Pessoas que eu amava tinham partido e eu estava triste sobre isso. Processar através da tristeza foi mais fácil do que processar através da raiva. Parecia mais calmo, mais compreensível. Eu não teria chegado lá sem me sentir bravo e sentir raiva. Quando fiquei com raiva, senti-me culpado por me sentir bravo, mas eu me deixei sentir isso de qualquer forma.

– Ash Thomas

Eu queria lançar isso o mais breve possível, porque eu estou vivendo isto, e muitas outras pessoas estão vivendo isso, também“, disse Mike no seu twitter, onde respondeu um fã, questionado sobre o Post Traumatic EP.

Obrigado, Mike Shinoda, por bravamente colocar suas emoções a mostra e dar esperança a tantas pessoas que ainda estão sofrendo com a perda de Chester Bennington. Desejamos para você e para a família Linkin Park tudo de melhor.

Se você ou alguém que você conhece precisa de ajuda agora mesmo, ligue imediatamente para o número do Centro de Valorização a Vida – 141. A ligação é gratuita.

Fonte: The Mighty

© 2018, www.linkinparkbrasil.com. O melhor portal de notícias do Linkin park no Brasil

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×

Deixe seu comentário sobre essa Notícia

comentários

Leave a Reply

Your email address will not be published.